Em Monte Sant’Angelo, o Santuário de São Miguel Arcanjo é um dos Patrimônios da Humanidade pela UNESCO na Puglia e uma das principais metas de peregrinação do ocidente. A National Geographic elegeu o Santuário uma das 10 cavernas sagradas mais bonitas do mundo.

 

O Santuário de São Miguel Arcanjo

No fim do século V, o bispo de Siponto fundou o Santuário de São Miguel Arcanjo (Santuario di San Michele Arcangelo) após as aparições do santo em uma gruta subterrânea, no Monte Sant’Angelo, no Gargano. No entanto, quando São Miguel Arcanjo se tornou o padroeiro dos longobardos e com a sua conversão ao catolicismo, o Santuário tornou-se o principal santuário do arcanjo no Ocidente. O Santuário também era uma parada obrigatória ao longo da Via Francigena para os fiéis que iam para a Terra Santa. Por isso o Santuário São Miguel Arcanjo de Monte Sant’Angelo entrou para a lista dos Lugares de Poder dos Longobardos na Itália e dos Patrimônio da Humanidade da UNESCO.

O santuário se abre com portais românicos e com a Torre Angioina. Enquanto uma escada esculpida na rocha leva os visitantes à primitiva gruta sagrada, ao Museu Tecum e às criptas longobardas. Os Museu Tecum (Musei dei Tesori del Culto Micaelico) compreende o Museo Devozionale cuja peça mais preciosa é uma pequena estátua de cobre dourado de São Miguel Arcanjo. Enquanto, o Museo Lapidario que recolhe mais de 200 artigos provenientes das escavações do Santuário e de alguns monumentos da cidade de Monte Sant’Angelo. Uma pequena abertura revela a antiga entrada e as escadas da época longobarda que davam acesso à gruta e algumas inscrições gravadas feitas pelos peregrinos.

 

O Centro Histórico de Monte Sant’Angelo

Descendo as escadas do lado de fora do Santuário se chega à belíssima cúpula do Battistero di San Giovanni in Tumba e a Chiesa Santa Maria Maggiore. Siga os itinerários indicados pelas ruazinhas e ladeiras até chegar ao bairro mais antigo e caraterístico de Monte Sant’Angelo, o Quartiere Junno. O bairro é de origem camponesa com casinhas brancas grudadas umas às outras com telhados pontiagudos. No entanto, as ruínas do Castello di Monte Sant’Angelo, residência de Frederico II do Sacro Império Romano-Germânico, se situam no ponto mais alto da cidade. Entretanto, do mirante, se tem uma bela panorâmica do Golfo di Manfredonia.

 

A Foresta Umbra

Por fim, o coração do Parco Nazionale del Gargano. A Riserva Naturale Foresta Umbra, que também è um dos Patrimônios da Humanidade pela UNESCO, compreende as cidades de Monte Sant’Angelo (sede), Vico del Gargano, Vieste, Carpino e Peschici. A Foresta Umbra (deriva do latim sombra), a 800 metros acima do nível do mar, é uma área com 10.500 hectares de bosques. O pulmão verde do sul da Itália é um resíduo da floresta primitiva e milenar Nemus Garganicum com predominância de faias, pinheiros e carvalhos. A floresta é o lugar ideal para fugir do calor no verão e, principalmente, para os amantes de caminhadas e trilhas. O Laghetto d’Umbra é o cartão-postal da floresta e se localiza entre as cidades de Monte Sant’Angelo e Vieste. Contudo, no Gargano, a maioria das estradas é em subida e com muitas curvas o que pode deixar a viagem mais lenta.


Província: Foggia
Habitantes: 12.000
Mapa