Na província de Lecce, Otranto – o ponto mais oriental da Itália – é a Porta do Oriente e possui um centro histórico, considerado um “Patrimônio Cultural da Paz” pela Unesco. Um castelo se funde com os muros do centro histórico. Mas a principal atração do centro é a catedral que conserva um mosaico espetacular que se estende por todo o pavimento.

Otranto foi, por muito tempo, o principal porto italiano para o Oriente e, por isso, sofreu muitos ataques. Por exemplo, o mais importante, em 1480, os turcos tomaram a cidade e assassinaram mais de 800 cristãos que não quiseram se converter ao islamismo. Depois da reconquista, o castelo foi reestruturado pelos aragoneses com torres, portas, como a Porta Alfonsina, e um muro que circunda o centro histórico, um exemplo de arquitetura militar.

 

Otranto - Porta do Oriente - Mosaico da Catedral

A Cattedrale di Santa Maria Annunziata conserva um esplêndido mosaico chamado a Árvore da Vida que cobre toda o pavimento da Igreja. O mosaico é composto por várias imagens, por exemplo, Torre de Babel, Rei Arthur e Alexandre o Grande. A catedral também conserva os restos dos mártires de 1480.

 

O que ver em Otranto – o ponto mais oriental da Itália

A caminhada parte do Castello Aragonese passando pela Torre Matta. Da torre se pode ver o porto de onde saem os passeios de barco pela costa rochosa de Otranto. Desça a orla “Lungomare degli Eroi” passando pelo monumento aos heróis, até a Praia degli Scaloni. Volte ao centro histórico e entre pela Porta Alfonsina. Veja o mosaico da catedral e os afrescos bizantinos da Igreja de San Pietro, a catedral bizantina de Otranto. O Corso Garibaldi é a rua das lojinhas que liga a Porta Alfonsina à Torre Matta.

 

Otranto - Porta do Oriente - Bai dei Turchi

Nas redondezas de Otranto – o ponto mais oriental da Itália

Ao norte de Otranto, a Baia dei Turchi é uma das praias mais bonitas do Salento. Provavelmente, por onde chegaram os turcos em 1480. Antes de chegar à praia se percorre uma estradinha por uma floresta de pinheiros. Mais ao norte, está a ponte dos Laghi Alimini que divide os lagos da longa praia de areia.

Enquanto, saindo do centro, direção sul, vale a pena visitar, a Cava di Bauxite. Um antigo local de extração de bauxita até os anos meados dos anos 70. Hoje resta uma lagoa verde cercada de terra e rochas vermelhas e o verde da vegetação. Em outras palavras, o espetáculo de cores é intenso por causa da presença de bauxita por toda a zona, porém o lago é impróprio para banho.

Tire fotos do Faro di Punta Palascìa, também chamado Capo d’Otranto. O farol é o ponto mais oriental da Itália que está a 70 km da Albânia. No réveillon, muitas pessoas escolhem o farol de Otranto para ver o primeiro nascer do sol do ano.

Por fim, mergulhe nas águas da bela e pequena Praia de Porto Badisco. Segundo o poema Eneida de Virgílio, foi onde Eneias teria desembarcado depois que fugiu de Troia. Muito perto dali está o mais importante complexo pictórico neolítico da Europa, Grotte dei Cervi. No entanto, não pode ser visitado. Contudo, da Torre Sant’Emiliano se tem uma belíssima panorâmica da costa salentina adriática.

 

Como chegar em Otranto – Porta do Oriente

De Bari, de carro, a viagem dura, aproximadamente, 2h. Pegue a SS16/SS379 em direção a Brindisi e continue pela SS16/SS613. Quando chegar em Lecce, pegue a SS694 direção Santa Maria di Leuca, mas volte para a SS16. Enfim, na altura de Maglie seguir as indicações para Otranto.


Província: Lecce
Habitantes: 5.700
Mapa