Troia era um centro estratégico por onde passava a Via Traiana ligando o Ocidente ao Oriente e tem a sua catedral como um símbolo da arte românica pugliese.

Primeiramente Troia nasceu como Aika, nos pés dos Montes da Daunia e à beira do Tavoliere delle Puglie. Cresceu em época romana (Aecae) com a passagem da Via Traiana, em direção ao Oriente, por onde hoje passa a Via Regina Margherita. Foi invadida por bárbaros, mas foi com os bizantinos que se fortificou. Dependente direta da igreja de Roma, Troia tornou-se um importante centro religioso e foi sede de quatro concílios. Todavia foi destruída pelo Imperador Frederico II do Sacro Império Romano-Germânico e se tornou um feudo religioso.

 

A Catedral de Troia

Vale a pena conhecer o pequeno e conservado centro histórico de Troia, principalmente, pelas as igrejas. Embora a Chiesa di San Basilio, em estilo proto-românico, seja a igreja mais antiga da cidade, a Cattedrale di Santa Maria dell’Assunta é o simbolo da cidade de Troia. Mesmo se estiver fechada, observe os detalhes externos que, certamente, valem a pena. Construída no século XII sobre uma igreja bizantina com materiais da antiga cidade romana. A catedral é um exemplo da arte romanica pugliese com traços bizantinos e islâmicos. A fachada possui uma rosácea de pedra com onze raios e perfurações com formas geométricas, única na história da arte. O Portone della Prosperità (portão principal) e o Portone della Libertà (portão lateral) são em bronze decorados em alto relevo com histórias de santos, bispos e da cidade. A catedral é também sede do Museo Diocesano.

 

O que saber sobre Troia

Por fim, Troia faz parte do caminho medieval Via Francigena del Sud, a velha Ápia-Traiana, que ligava Roma à Brindisi. Depois de passar por Troia os peregrinos seguiam, principalmente, para Monte Sant’Angelo ou para os portos do sul com destino à Terra Santa. Aproveite para conhecer Ordona, a 30 km de Troia, onde se encontram as escavações arqueológicas da antiga cidade romana de Herdonia, e Lucera, a Chave da Puglia (Apúlia, em português).

Além da catedral, a cidade é lembrada pelo vinho de Troia e por fazer parte das cidades Bandiera Arancione do Touring Club Italiano.


Província: Foggia
Habitantes: 7.000
Mapa