Na fronteira entre a Puglia e a Campania, o castelo de Bovino é a grande atração de uma das cidades mais bonitas da Itália.

O passado medieval de Bovino é visto no centro histórico com edifícios nobres e, principalmente, com os mais de 800 portais de pedra realizados pelos mestres artesãos locais. Entretanto, o castelo e a catedral são as grandes atrações da cidade medieval de Bovino, Bandiere Arancioni e Borghi più Belli d’Italia.

Localizada na Daunia, no vale que servia de passagem entre as regiões Puglia e Campania, entre os mares Adriático e Tirreno, a cidade de Bovino tem origens samnita e romana, a Vibinium. Foi onde Aníbal acampou seu exército antes da batalha contra os romanos, em Canne, Barletta. Embora tenha sofrido com os ataques longobardos e sarracenos, foi com os bizantinos e com os normandos que se tornou uma fortaleza.

 

O que ver além do Castelo de Bovino

No alto da cidade, o Palazzo ou Castello Ducale, que hoje é sede do Museo Diocesano, foi construído na época normanda e ampliado pelo Imperador Romano-Germânico, Federico II. Contudo, deste período, resta somente a torre circolare, La Cavaliere. No entanto, foi o espanhol Duque de Guevara quem transformou o castelo como é hoje. Na capela do castelo um relicário de prata conserva um fragmento de um sagrado espinho da coroa de Cristo.

 

Enquanto, na Piazza Duomo, a Concattedrale di Santa Maria Assunta é o monumento nacional da cidade. A fachada é um clássico exemplo do estilo românico pugliese com colunas de origem romana e elementos bizantinos. A poucos passos dali, a românica Chiesa di San Pietro é a mais antiga da cidade.

O Palazzo Pisani abriga o Museo Civico Gaetano Nicastro que documenta cronologicamente a evolução da cidade e expõe a coleçao Stelle Antropomorfe Daune, 3 mil anos a.C., com as primeiras esculturas em pedra da Puglia que representam figuras humanas.


Província: Foggia
Habitantes: 3.200
Mapa