Manduria é a cidade do vinho Primitivo no coração do Salento.

Entre Taranto, Lecce e Brindisi, ao longo da Via Traiana, Manduria é chamada de o “Coração do Salento”. Era o maior centro dos messápios, tribo que habitava no centro sul da Puglia (Apúlia), e rival da vizinha Taras, Taranto. Por fim, a “Cidade do Vinho Primitivo” por ser é uma das grandes produtoras de vinho Primitivo, o principal entre os Vinhos da Puglia.

Embora fizesse parte dos domínios de Roma, a cidade foi castigada por se aliar aos cartagineses nas Guerras Púnicas. Contudo destruída pelos sarracenos, passou a se chamar Casalnuovo até chegar a dinastia dos Bourbon, quando voltou a se chamar Manduria.

 

O que ver em Manduria

No centro histórico da cidade, na triangular Piazza Giuseppe Garibaldi, o Palazzo Comunale é sede da Biblioteca e do Antiquarium, que conserva, por exemplo, as cerâmicas messapianas provenientes das escavações arqueológicas. O Palazzo Imperiali-Filotico é um típico edifício feudal do Salento, em estilo barroco.

A Chiesa Madre ou Chiesa Santissima Trinità foi construída sobre uma base românica no meio do centro histórico. Enquanto o arco em frente à igreja é a entrada do gueto hebraico, a Giudecca, um labirinto de ruas e algumas casas do século XV.

Saindo do centro pela Via Roma, a Porta di Sant’Angelo é a antiga estrada que ligava Manduria a Taranto. Em direção a cidade de Oria, o Parco Archeologico conserva restos das três muralhas messapianas, uma necrópole com mais de mil túmulos, a Fonte Pliniano, uma gruta subterrânea com uma fonte de água sagrada dedicada, e a Chiesa San Pietro Mandurino. Não deixe de visitar à Cantina Produttori Vini Manduria que é a sede do Museo della Civiltà del Vino Primitivo com exposições, eventos e degustações.

 

Por fim, no litoral Jônico, as praias de San Pietro in Bevagna, onde encontraram no fundo do mar os “Sarcófagos do Rei” de época romana, e a selvagem Salina dei Monaci fazem parte da longa Marina di Manduria, que vai da Torre Colimena a Torre Borraco.


Província: Taranto
Habitantes: 30.000
Mapa