Brindisi e a Via Ápia (Via Appia), um importante porto comercial e a estrada que ligava a capital do império romano à Brindisi e dali para o oriente (mapa). No entanto, essa ponte entre o ocidente e oriente fez com que a cidade fosse invadida e dominada por muitos povos. Contudo, o seu apogeu foi entre 1943 e 1944 quando se tornou capital da Itália.

 

Brindisi e a Via Ápia - orla e monumento

Brindisi e a Via Ápia

Antes de tudo, impossível falar de Brindisi sem começar pela Via Appia, a Regina Viarum. Em outras palavras, a rainha de todas as estradas, construída em memória do político romano Ápio Cláudio Cego. Era a estrada que ligava a capital do império romano à Brindisi e percurso obrigatório até o porto para os cavaleiros, durante as cruzadas, e peregrinos que partiam para Jerusalém.

O porto de Brindisi foi construído em uma enseada natural em forma de chifre de cervo. Ainda hoje o porto de Brindisi é um dos portos mais importantes do Adriático. Brindisi faz parte das rotas turísticas dos cruzeiros no Mediterrâneo. A escala dos cruzeiros na cidade é uma ótima opção para conhecer, pelo menos, a orla e o centro histórico.

Certamente a grande atração da orla de Brindisi é a Escadaria Virgiliana, onde estão as Colunas Romanas, símbolo da cidade, que marcam o fim da Via Appia. Principalmente, depois da revitalização, a orla Regina Margherita ficou repleta de bares e restaurantes e se transformou em um passeio turístico obrigatório e centro da movida brindisina. No entanto, no outro lado do canal, o Monumento ao Marinheiro da Itália, ou “O Monumento”, com 53 m de altura e a forma de um leme homenageia, aproximadamente, 6000 marinheiros mortos durante a primeira guerra mundial.

O Castello Alfonsino ou “Castello a Mare” foi construído na Ilha de Sant’Andrea, na entrada do porto da cidade. É também é conhecido como “Castello Rosso”, devido à cor vermelha das pedras. Enquanto o Castello Svevo de Brindisi ou “Castello a Terra” ou “Castello Grande” foi a residência do rei Vittorio Emanuele III no seu exílio durante a Segunda Guerra Mundial, entre 1943 e 1944. Consequentemente, Brindisi se tornou a capital temporária da Itália. Atualmente o castelo é propriedade da Marinha.

 

Brindisi e a Via Ápia - Piazza Duomo

Centro histórico

Na Piazza Duomo se concentram várias atrações interessantes. O Portico dei Templari que faz parte do Museo Archeologico Provinciale. A Loggia Balsamo com os seus arcos ricamente decorados. San Pietro degli Schiavoni é uma área arqueológica com os restos de uma cidade da época romana. A descoberta aconteceu durante a construção do Nuovo Teatro Giuseppe Verdi. Por isso que o teatro é também chamado Teatro Suspenso.

A Cattedrale di Brindisi foi reconstruída depois do terremoto de 1743. A sua bela fachada foi refeita com colunas romanas utilizadas no templo de Apolo e Diana. O campanário em estilo barroco possui um arco de passagem para as escadarias e para a orla. A Igreja de San Giovanni al Sepolcro foi construída com uma forma circular sobre uma domus romana a pedido dos templários. Enquanto, fora do centro histórico, a gótica Igreja Santa Maria del Casale conserva belíssimos afrescos.

 

Como chegar

Certamente a maneira mais rápida para chegar em Brindisi é pelo Aeroporto de Brindisi. Todavia, Brindisi está a 120km de Bari. Saindo de Bari, de carro, a viagem dura 1h20min. Siga a SS16–E55–SS379 até Brindisi. De Bari, a viagem de trem com Trenitalia dura 1h20min e custa 8,60€.


Província: Brindisi
Habitantes: 87.000
Mapa