No coração do Tavoliere delle Puglie, Foggia é o centro do celeiro da Itália, com o seu rico passado e áreas arqueológicas. Foggia – a capital da Capitanata – compreende a província do norte da Puglia (Apúlia): a Daunia, o Tavoliere delle Puglie e o Gargano. Foggia está no coração do Tavoliere delle Puglie, o Celeiro da Itália.

 

Historicamente Foggia sempre foi muito ativa, por exemplo, foi residência imperial de Federico II, foi sede da alfândega da coroa espanhola de Aragão, e se rebelou contra os Bourbons. Hoje Foggia conserva muito pouco do seu passado, principalmente, por causa dos terremotos de 1456 e 1731 e dos bombardeios durante a segunda guerra. Foggia nasceu sobre os restos da cidade de Arpi, o mais importante centro de produção agrícola e pecuária da antiga Daunia. Enquanto, o nome vem de Foveae (cisterna subterrânea de cereais).

 

O que ver em Foggia – a capital da Capitanata

O cartão postal da cidade é a Piazza Cavour onde estão a Fontana del Sele, o Palazzo dell’Acquedotto Pugliese, o edifício mais bonito da cidade, e as colunas da Villa Comunale Karol Wojtyła, o parque público da cidade. Embora a Piazza Cavour seja a mais bela, a Piazza XX Settembre reúne alguns edifícios históricos, como a Chiesa di San Francesco Saverio, o Palazzo della Dogana e o Archivio di Stato. No Corso Garibaldi, o Palazzo del Podestà, da época fascista, é a sede da prefeitura. O Teatro Giordano é o mais antigo teatro da Puglia (1828).

 

Certamente a zona da catedral é aquela que une a cultura, a diversão e o turismo da cidade. A Cattedrale Beata Maria Vergine Assunta in Cielo que foi reconstruída várias vezes, hoje, possui arcos românicos e uma rosácea barroca. Todavia, a Via Duomo liga a catedral a Piazza del Lago, onde foi vista a imagem da Madonna dei Sette Veli, a padroeira da cidade. O complexo da Chiesa del Monte Calvario ou delle Croci é formado por um arco barroco, uma série de 5 capelas e a igreja.

 

O Corso Vittorio Emanuele II é a rua comercial mais importante da cidade. Enquanto a Via Arpi é a rua principal do centro histórico que começa nos três arcos do Palazzo Nigri, sede do Museu Cívico que conserva os restos da antiga cidade e o arco de entrada do antigo palácio imperial.

Por fim, fora do centro, o Parco Naturale Regionale Bosco dell’Incoronata era a antiga reserva de caça do Imperador. O Parco Archeologico di Passo di Corvo, o maior parque neolítico da Europa, conserva os restos da civilização Daunia. Aproveite para conhecer Lucera e Troia.


Província: Foggia
Habitantes: 150.000
Mapa